14.02 Gods and Monsters
Data: 18/10.

Pôster | Promo | Sinopse

27/03/2013

Review: 8x17 - Goodbye Stranger.

Abaixo segue a review do episódio 8x17. Demorou mais saiu. Ela foi feita pela Tati, do VSA Oficial, então já dá pra concluir que pode ter alguma opinião feminina no texto. Prometo não postar com tanto atraso a próxima review. Divirtam-se:

Pela primeira vez em 4 anos que eu assisto a série, eu nunca soltei tantos palavrões por segundos ao ver os 30 segundos iniciais do seriado. Ver Cas quebrar a mão de Dean e enfiar a lança angelical no peito dele sem dó e nem pena foi quase demais pro meu coraçãozinho. E então vemos que tudo nao passou de um teste daquela [CENSURADO] maldita da Naomi para preparar Castiel para o pior, sabendo que a única fraqueza do nosso querido anjo é somente Dean Winchester. Eis que Deus atende minhas preces mas de um jeito não muito certo. Naomi diz que Castiel está pronto para sua missão e mil Deans aparecem estirados no chão, todos mortos. Suspiro aliviado, era só um teste.

 
De volta ao nosso precioso lar, Sam está focado em seu notebook fazendo uma pré investigação sobre um possível caso. Enquanto lê as notícias, as tosses com sangue voltam a pertubá-lo, fazendo ele mentir mais uma vez pro irmão dizendo que está bem. Porém, ele joga o papel com sangue na lixeira de qualquer jeito. Dean chega na mesa e pergunta se o irmão achou algo. Sam discorre sobre o que achou e Dean divide a atenção na explicação do irmão com a revista pornográfica vintage oriental que ele achou no bunker dos Men of Letters. Depois que Sam fala sobre como as vítimas foram achadas, ele vai arrumar suas coisas pra pegar a estrada, Dean nota alguma coisa de errado na lixeira e descobre o papel de sangue do irmão. 

Entrevistando um dos parentes das vítimas, Sam e Dean descobrem que a vítima passou a ter hábitos estranhos dentro de casa, cavando terrenos e depois pendurando um punhado de terra em cima de uma maquete da cidade. O marido da vítima viu os olhos dela mudarem de cor e saiu de casa desnorteado. Quando voltou, encontrou sua esposa com as mãos e pés com marcas de queimaduras e com os olhos liquefeitos. Sem respostas, os irmãos vão a casa de uma historiadora com quem a última vítima falou ao telefone. Wendy - a D. Florinda de Supernatural – atende os “agentes do FBI” e começa a contar o que Annie queria com ela. Annie estava a procura de um mapa antigo da cidade que revelasse o local exato de um antigo pomar. Duas batidas na porta e eles são surpreendidos por um trio de demônios a porta de Wendy. Sam, debilitado por conta do trial, leva a pior no “mano a mano” e só é salvo pela chegada de Castiel que mata o demônio de cima dele. 

Sem mais delongas, Cas diz que um demônio fugiu e vai interrogar o que ele conseguiu prender. Sam é mais rápido e pede explicações, querendo saber onde ele estava e o que ficou fazendo. Cas hesita em dizer, então Dean abandona seu orgulho e pergunta se Cas ouviu sua oração – a cena final do episódio passado -. Sam olha pro irmão não acreditando que ele fez isso, porque sabe que é uma das atitudes mais desesperadoras que Dean pode fazer. O anjo responde que ouviu a prece de Dean mas que não é por isso que ele está ali e conta que ultimamente está caçando demônios. Naomi aparece de novo – eu ODEIO essa mundrunguinha manipuladora! – e diz a Cas para contar parte da verdade para os Winchester, pois eles podem ser úteis na missão. Castiel diz aos dois que está procurando a outra metade da tábua e descobriu que Crowley espalhou capangas para encontrar as criptas de Lúcifer. Então, obedecendo Naomi, Cas mente dizendo que Crowley está a procura de um pergaminho para tentar decifrar a tábua sem a outra metade. Ele também explica que somente os mais chegados a Lucifer sabem onde as criptas estão pois elas se perderam no tempo. Na sessão de tortura do carrasco Castiel, o demônio conta que eles só souberam sobre as criptas porque possuem uma refém que está indicando os locais. Além disso, ela também dá o endereço aonde a refém está “hospedada”. Se baseando na historinha pra boi dormir do anjo, Sam quer saber mais sobre o tal do pergaminho, a demônio diz que não sabe sobre o artefato e quando ela vai contar mais coisas, Castiel mata a criatura seguindo ordens de Naomi. 

Correndo pra dar tempo de pegar algum demônio ainda vivo perto das vistas de Castiel, os Winchester chegam no hotel Murray na hora que Cas está liquidando o último demônio. Ele indica onde está a refém e, sentadinha com as mãos e pés amarrados, Meg está de volta – todas vibra -. Meg volta toda loira, linda e cheia de sangue por ter sido torturada há mais de um ano por Crowley. Sam e Dean interrogam Meg sobre as criptas de Lucifer e ela diz que conhece elas nas visitas que fez com o Yellow Eyes. Meg diz para os meninos não se preocuparem pois ela não está dando o local corretamente para os capangas do Crowley. Porém, ela fala mais do que Castiel poderia esperar e conta a verdade sobre o que Crowley está procurando, falando sobre a tábua dos anjos. Dean olha rapidamente para Castiel, que tenta disfarçar, mas Dean já o conhece e sabe quais são suas expressões de mentira. Até Sam não acredita no Cas quando ele diz que a tábua dos anjos é novidade para ele. Sam pede ajuda a Meg e ela concorda em ajudá-los pedindo um mapa a eles.

Sozinhos na sala da maquete, Sam e Dean continuam discutindo sobre Castiel e suas mentiras – só eu to lembrando da 6 temporada? Eu sei que não é culpa dele, mas a gente lembra das mentiras do Cas naquela temporada -. No outro cômodo, se passa a cena mais linda do episódio inteiro para mim. Eu sou Megstiel assumida e a cena a seguir foi tipo o suprassumo do episódio! Cas está cuidando das feridas de Meg enquanto conversam sobre o passado e o presente deles. O que eu achei um amor, pois ele podia somente encostar nela e curá-la. Mas não, ele estava limpando e enfaixando os hematomas do corpo da demônio. Enquando o anjo limpa e inocentemente fala sobre os machucados, Meg dá em cima dele a cada frase que sai de sua boca– that’s my girl! – Em um ponto da conversa, Meg pergunta porque ele é tão carinhoso com ela, ele olha pra ela e diz que não sabe – awwwwwwwn –  e o jogo de camera fazendo a troca de olhares entre eles? Good point, director! Em outro ponto, Meg quer saber se Cas está lúcido, pois da última vez que ela o viu, ele estava lelé da cuca no final da 7 temporada. Ele diz que voltou a ser o Castiel de sempre e ela indaga se ele se lembra de tudo o que havia acontecido com ele. Cas fica vermelho – awwwwwwwn² - e diz que se lembra do “pizza man e que é uma boa lembrança”  - gritos e awwwwwn eternos –  Meg aproveita a deixa e diz que se sobreviverem, ela vai pedir uma outra pizza, fazendo Castiel demora a entender o que ela está querendo dizer. Quando ele entende e vai respondê-la, Dean aparece e quebra o clima deles falando para saírem pois Sam descobriu onde estão uma das criptas. 


Chegando no local, Dean designa os “times” e Sam retruca falando que não vai ficar de fora com Meg e tenta argumentar. Dean corta ele na hora e diz que viu o papel dele com sangue na lixeira e sabe que ele não está bem. Cas salienta o que Dean disse e fala que Sam está tão danificado que nem o anjo é capaz de curá-lo. Contrariado, o caçula fica com Meg cuidando da retaguarda enquanto Dean e Cas entram no local de uma das criptas. Sem o irmão por perto, Dean quer saber mais sobre seu irmão por Cas que não sabe se é letal, mas são interrompidos por uma passagem de ar entre paredes. No lado de fora do galpão, Meg e Sam estão desenhando simbolos nas paredes para que Crowley e seus capangas nao entrem no local.  Ela quer saber porque Sam não a procurou depois de tanto tempo, ele por sua vez fica quieto e ela, persuasiva, lembra a ele que conhece os sentimentos do rapaz pois já o possuiu por um tempo – aaaah Born Under a Bad Sign *_* que saudades da season 2 -. Meg o descreve exatamente como Sam é, não deixando outra alternativa para que Sam comece a desembuchar e a contar sobre Amélia. Contudo ele não fala exatamente como ela é, nem seu nome, então Meg a apelida de “unicórnio”.

Dentro da cripta, Castiel avisa Naomi que achou e ela manda Cas dizer aos Winchester que está vazia. Cas argumenta falando que a tábua está em um esconderijo “a prova” de anjos. Ele pede para que Dean abra o bau que está com sigils anti-anjos. O clima pesa entre os dois quando Cas quer levar a tábua dos anjos para o céu e Dean quer levar a Kevin para traduzir. Cas mente mais uma vez e diz que irá levar a tábua para Kevin, porque ele é mais rápido. Naomi diz que Crowley pode colocar as mãos na tábua e por isso não pode deixar os Winchester levá-la. Ela ordena que Cas mate Dean e o anjo diz que tem que ter um outro jeito pois Dean “é um homem bom”. Percebendo mais uma vez a mentira no rosto de Cas, Dean pede para que ele seja honesto com o amigo e  faz uma troca com o anjo, se ele contar como saiu do Purgatório, Dean entregará a tábua para ele. Nesse momento, a lança angelical aparece na mão de Castiel e eu começo a berrar porque no way, ele não pode matar o Dean! As coisas do lado de fora também começam a esquentar quando os capangas de Crowley aparecem. 

A todo momento Naomi aparece para confundir ainda mais o anjo e manipulá-lo de todas as formas possíveis. Fora da cabeça de Cas, Dean pede para que ele lute com o que tem dentro dele e diz que  aquilo não é ele. Mas Naomi continua pressionando, tornando Castiel seu boneco de marionete que resiste o quanto pode, questionando o que a maldita fez com ele. Um desses questionamentos é falado em voz alta, com Cas dizendo o nome de Naomi e Dean quer saber quem é essa mulher. Para completar o circo de horror da Maldita, Naomi joga na cara do Cas que ela está tentando limpar a bagunça que ele deixou há um tempo atrás. Não sei se foi por causa da raiva, mas Naomi deixa escapar que foi ela que “consertou” Cas. O que me leva a pensar que foi por causa dela que Cas saiu do Purgatório, ainda mais com aquela história que ele contou sobre ser um lugar de punição. Na retaguarda, Sam e Meg dão conta dos demôniozinhos que aparecem. Well done, team! Agora do lado de dentro... preparem seus lencinhos, iremos relembrar uma das season finales mais tristes, e a melhor, de toda série; Swan Song – versão Castiel. 

 

Vendo a expressão de terror no rosto do amigo, Dean chama o pelo nome, mas é recebido com um soco tão forte que ele voa fazendo a o objeto ir para longe. Após alguns segundos se recuperando, Dean consegue pegar a pedra onde a tábua está escondida e é surpreendido pela presença de Cas, que pela sua cara não é o Castiel que estamos habituados em ver. Mesmo sabendo que não é pareo para ele, Dean entra em combate com o anjo, que quebra sua mão e a pedra é quebrada ao cair no chão, revelando a tábua dos anjos. Lágrimas descem do meu rosto ao ver Cas “baixar o cacete” no irmão mais velho sem pena nenhuma e este falando que Cas só vai ter a tábua se passar por cima do cadáver dele – e isso é hora pra ser machão? – Mais e mais socos são enfiados no rosto de Dean que passa a desfigurar-se tamanha a força deles. Tentando trazer o verdadeiro Cas de volta, Dean começa a “conversar” com ele. Se isso não lembra Swan Song, não sei mais o que lembrar! Quando Cas prepara a lança para matá-lo, Dean fala que sabe que Cas pode ouví-lo e então diz que eles são uma família e que ele precisa dele – all the feels com esses dois! – Mais uma vez a Maldita aparece e diz que dessa vez Castiel precisa escolher entre o céu ou os Winchester. Eu sei que é praticamente um pleonasmo o que eu vou falar agora, mas palmas para a interpretação de Jensen com o seu rosto de súplica ao chamar Cas pelo nome. Milagrosamente, a lança cai no chão e Cas volta ao seu formato original, quebrando o elo dele com Naomi numa explosão de luz ao tocar a tábua – agora eu vou pra galeeeeeeeera. 

Percebendo a besteira que fez pela primeira vez, Cas cura Dean ao tocar no rosto dele com sua mão. Curiosidade sobre a cena: após Supernatural, uma fã perguntou a R. Thompson, o roteirista que escreveu o episódio, pelo twitter por que Cas curou Dean usando a mão e não dois dedos como geralmente ele usa. Thompson disse que isso ficou acordado entre os atores e os diretores, pois a cena não dava detalhes, somente falava  que Cas baixou a guarda e curou o Winchester. Curiosidades a partes, Crowley aparece do lado de fora e Meg se posiciona um pouco a frente de Sam. Após rolar um diáloguinho básico, Meg diz para Sam salvar o irmão dele e o unicórnio dela – meu deus, que fofuuuuura essa Meg! – Aproveitando a deixa, Sam corre para dentro e Meg atrasa Crowley que faz um pequeno jogo com ela. Ele conta a verdadeira intenção dos irmãos Winchester e ela desdenha de Crowley, que por sua vez mete o soco nela.

Voltando novamente para o lado de dentro da cripta, Dean quer saber o que aconteceu e quem é Naomi. Cas diz que ela está o controlando desde que saiu do Purgatório, Dean indaga o que quebrou a conexão entre ela e Cas – AMOR, seu retardado u.u – Cas não soube dizer, só sabe que ele precisa proteger a tábua dela e de Dean e some logo depois. Sam aparece, tira Dean de dentro da cripta e diz que eles precisam sair dali logo. Apanhando de Crowley, Meg não tira o sorriso zombeteiro do rosto de jeito nenhum. Irritando ainda mais Crowley, ao ver os irmãos entrando no carro sem Cas e diz que a tábua já está bem longe. Não resta Crowley a enfiar a lança angelical nela e matar Meg – grito de “nãããão” ecoando pela casa -. Para a nossa surpresa, Crowley já conhecia Naomi quando eles se encontram dentro da cripta de Lúcifer. Se bem que são farinhas do mesmo saco, Crowley pelo seu instinto, Naomi por ela mesmo. Mas parece que eles são bem mais intímos do que acreditavámos quando Crowley diz a ela que ele era mais um amante do que um guerreiro. EW! Crowley quer fazer um acordo com a Bonita lá, mas ela mete o pé e deixa ele falando sozinho.

No fim do episódio, nos vemos dentro do impala com os irmãos na sua dr habitual. Sam quer saber mais o que aconteceu, Dean diz que não tá nem aí, a única coisa que se importa é que Cas está andando por aí, fora de si, com uma arma de destruição em massa do Céu. Dean está totalmente sem paciência e pede cooperação pro irmão porque não aguenta mais mentiras de ninguém. Sam concorda e diz que Dean está certo e ele será totalmente honesto com o irmão. O Winchester mais velho declara que pode não conseguir suportar o fardo dos trials, mas que consegue suportar o irmão.  E então, a cena final, com direito a trilha sonora que dá nome ao título do episódio, é Cas pegando um ônibus – oi? – e indo para algum lugar. Ok, agora eu fiquei realmente confusa. Por que Castiel pegou um ônibus se ele pode se deslocar com a força do pensamento? Será que ele foi banido do céu pela Naomi? Ou a tábua impede ele de usar seus poderes?


Gostou? Então compartilhe:

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário

Postar um comentário

Design por: Jéssica Winchester | Ajudaram: