14.07 Unhuman Nature
Data: 29/11

Fotos | Promo | Sinopse

24/09/2018

10 anos de Castiel em SPN: Os seus maiores momentos na 13ª temporada.


Na semana passada completou 10 anos do dia desde que o primeiro episódio do Castiel foi ao ar em Supernatural. O site Nerds and Beyond, celebrou postando um artigo a cada dia até chegar ao aniversário, destacando alguns dos maiores momentos do anjo. Se você não tem acompanhado pode dar uma olhada aqui.

É quase inconcebível olhar para a entrada de Castiel 10 temporadas atrás e não perceber o quanto a personagem percorreu desde lá. Ele tem aprendido muito desde que se tornou o guardião dos Winchesters, mesmo que para isso ele tenha morrido uma meia dúzia de vezes pelo caminho.


Na verdade, no começo da 13ª temporada, que é o tema do artigo de hoje, acredita-se que Castiel está morto. O público aprendeu ao longo das últimas 13 temporadas que a morte não é sempre permanente, mas para os Winchesters ela é sim. Eles viram as asas queimadas de Castiel no chão e acreditam que desta vez ele realmente se foi. Leva-se alguns episódios antes do retorno de Castiel para os meninos, mas em razão dos episódios anteriores lidarem com o luto por o terem perdido, parece ao público que ele nunca, realmente, saiu da série.

Por isso ser Supernatural, ele não fica morto por muito tempo. Vamos começar no início da temporada 13 e ver como isso acontece. 

Temporada 13, episódio 4 - “O Grande Vazio”.
Este episódio nos dá a resposta para a questão que os fãs têm-se perguntado por anos: para onde os anjos vão quando morrem? No final do episódio anterior, o nephilim Jack parece alcançar Castiel mentalmente, e nós vemos ele despertando com o rosto no chão, olhando para o vasto nada do Vazio. Aqui, nós o vemos vagando pela escuridão sem rumo até que ele encontra uma entidade cósmica que assumiu a sua própria forma. É surreal assistir dois “Castiéis” na tela, idênticos fisicamente, porém tendo dois conjuntos distintos de maneirismos, expressões faciais e vozes. 

A Entidade explica para Castiel que ele é o primeiro anjo, ou demônio que alguma vez despertou daquele lugar, o que fez com que ele próprio acordasse do seu descanso. Desejando que Castiel volte a dormir para assim ele mesmo fazer o mesmo, ele pergunta ao Castiel o por quê dele ter acordado. O anjo acredita que Sam e Dean devem ter feito algum tipo de pacto para salvá-lo, mas a Entidade explica que ele está ali bem antes de Deus, Céu, e Inferno, e que não há nada que possua poder suficiente para fazer um pacto no Vazio exceto por ele mesmo. Não conseguindo respostas a respeito de como isso é possível, a Entidade penetra dolorosamente na mente de Castiel para descobrir por que ele está acordado. O anjo pergunta a ele o que ele quer dele. A entidade explica que ele não pode voltar a dormir antes que Castiel faça o mesmo, o que o ajuda a descobrir que o fato de estar acordado causa dor à Entidade. Mesmo após ela tentar manipulá-lo mostrando a Castiel um compilado de suas piores decisões e insistindo que não há nada na Terra para ele, o anjo defende-se e diz que continuará acordado lutando contra a Entidade por toda a eternidade ao menos que ela o liberte. 


Não apenas este é um grande momento porque o leva a escapar do Vazio e se juntar a Sam, Dean e Jack na Terra, mas é também significante porque Castiel não se permite ser manipulado. Mesmo após da Entidade usar seus maiores fracassos, dizendo que as pessoas que ele ama não estão mais o esperando e que ele apenas irá continuar a ser um desapontamento se ele voltar, Castiel continua firme em sua postura, sabendo que os Winchesters precisam dele. Isso é incrível, porque diferente do que tem acontecido tão frequentemente com o Cass no passado, ele não é manipulado tão facilmente desta vez, e ele se defende ao invés de se submeter ao que outra pessoa quer. Isso marca a introdução de uma versão mais forte, corajosa e própria de soldado de Castiel, e é extraordinário poder ver ele colocar sua cabeça no lugar novamente. 

Temporada 13, episódio 12 - “Vários e Sortudos Vilões” 
A última vez que vimos Castiel, ele foi até os anjos para pedir ajuda para localizar Jack. Infelizmente, os anjos de lá o prendem segurando uma lâmina de anjo em sua garganta, e Lúcifer, tendo acabado de retornar ao nosso mundo do Mundo do Apocalipse, vem em seu socorro. Lúcifer conta a Castiel sobre os planos de Michael e tenta convencer Castiel a trabalhar com ele e Jack para dar um fim em Michael. Castiel não acredita em nada disso, dizendo a Lúcifer que ele precisa falar com Sam e Dean antes de concordar com qualquer coisa. Infelizmente, antes que ele possa fazer isso, ele e Lúcifer acabam  sendo capturados e mantidos prisioneiros por Asmodeus.  

Neste episódio, vemos as consequências de Castiel e Lúcifer encarcerados, e como os dois não estão exatamente se dando bem. Lúcifer tenta convencer Castiel a dar-lhe um pouco de sua graça, para que ele possa restaurar alguns de seus poderes e assim tirá-los de suas celas, mas Castiel recusa. Ele percebe que o poder de Lúcifer aumenta junto com sua raiva e usa isso para sua vantagem. Provando o quão estratégico ele pode ser quando necessário, ele irrita e insulta Lúcifer, provocando-o com histórias sobre como Jack é bom e gentil. Isso eventualmente faz com que a graça de Lúcifer se energize em um ataque de raiva, e ele finalmente é capaz de romper as defesas mantendo tanto ele quanto Castiel dentro de suas celas. 

Uma vez que ambos se libertam, Castiel usa sua graça para ferir o demônio que estava mantendo guarda, e ele e Lúcifer escapam juntos para fora. Depois que Castiel avisa a Lúcifer que mais demônios virão atrás deles, Lúcifer diz a Castiel mais uma vez que esta luta seria muito mais fácil se ele simplesmente cedesse um pouco de sua graça, tentando influenciar Castiel a confiar nele, reiterando como eles apenas lutaram lado a lado e que funcionou bem. Em vez de cair em sua conversa, vemos Castiel esfaquear Lúcifer através do estômago com sua lâmina de anjo.


Infelizmente, isso não funciona. Embora Lúcifer esteja em um estado enfraquecido, ele ainda não pode ser morto com uma lâmina de anjo. Mas o ponto, e por que isso é tão importante, pode ser facilmente resumido com as palavras de Castiel: “Este sou eu, aprendendo com meus erros.” Tantos espectadores ansiavam por Castiel poder se vingar de Lúcifer por matá-lo, e havia algo extremamente satisfatório em ver Castiel esfaquear Lúcifer com uma lâmina de anjo da mesma forma que ele o esfaqueou no final da 12ª temporada. Este foi mais um passo para Castiel provando ser um guerreiro inteligente e capaz desde seu retorno dO Vazio.

Temporada 13, episódio 14 - “Boas Intenções”  
Vemos Donatello, o profeta, tentando traduzir a tábua dos demônios para achar um feitiço para abrir a fenda para o Mundo do Apocalipse. Uma vez que ele finalmente descobre, ele fala os ingredientes para Sam, Dean e Castiel, e Sam tem o prazer de descobrir que eles têm a maioria dos ingredientes necessários para realizar o feitiço, exceto pelos corações de dois guerreiros antigos. Dean e Castiel viajam para lá para coletá-los, e depois que matam os guerreiros em batalha, eles ficam surpresos ao descobrir que, apesar do que Donatello disse a eles, os guerreiros não eram humanos e nem mesmo possuíam corações. 

Agora suspeitos, Castiel e Dean retornam ao bunker apenas para encontrar Sam segurando um bloco de gelo em sua cabeça depois de ser deixado inconsciente por ninguém menos que Donatello. Sam mostra a eles um vídeo de Donatello divagando sobre o poder no calabouço, e Dean indaga a Sam por que eles acham que Donatello os colocou em uma armadilha. Castiel assiste a câmera da biblioteca quando Sam e Dean tentam interrogar Donatello, mas rapidamente corre para o lado de Dean depois que Donatello usa um feitiço para sufocá-lo. Isso leva Castiel a entrar no calabouço, e uma vez que ele está finalmente informado sobre o fato de Donatello não ter uma alma, Castiel explica que não há como consertá-lo do mal que o infiltrou e sugere que matá-lo seria a coisa mais gentil possível a se fazer. Quando Sam e Dean não concordam com isso, Castiel toma uma decisão, causando outro grande momento para ele.

Castiel se tranca no calabouço com Donatello, sabendo que, enquanto ele dava os ingredientes errados para o feitiço, ele tinha os certos em sua mente. Castiel tira seu casaco, estimulando Donatello a dizer-lhe que ele está perdendo seu tempo, considerando que Sam e Dean já tentaram obter informações dele. Castiel diz que ele não é Sam e Dean, e explica que ele vai fazer algo que ele jurou que nunca faria novamente e usa seus poderes de anjo para tirar o feitiço de sua mente. Embora pareça uma jogada estratégica, Castiel permite que as emoções por trás de sua decisão sejam conhecidas quando ele diz: “Desculpe, mas não vou deixar você ou alguém ferir as pessoas que eu amo. De novo não." 


Essa interação entre Castiel e Donatello é importante porque Castiel vai diretamente contra os desejos dos Winchesters de fazer o que for necessário para obter o feitiço. É uma decisão cruel por parte de Castiel, que faz com que Donatello tenha morte cerebral, mas Cass defende a decisão dizendo que o antigo profeta já estava perdido para a corrupção da tábua de qualquer maneira. Mesmo assim, foi um passo ousado de se fazer, provando-nos mais uma vez que Castiel voltou a ser um anjo mais parecido com um soldado do que nós o vimos desde que veio pela primeira vez à Terra para ajudar Dean na quarta temporada. Apesar da escolha controversa que ele fez, foi uma que produziu resultados, e no final do episódio Castiel diz os Winchesters os ingredientes para o feitiço que eles precisam para abrir a fenda.

Temporada 13, episódio 19 - “Funeralia”  
No bunker, vemos Castiel, Sam e Dean discutindo suas opções de maneiras de caçar Gabriel. Eles precisam dele para extrair a graça do arcanjo, que é um ingrediente necessário para abrir uma fenda no Mundo do Apocalipse, onde Mary Winchester e Jack estão presos. Castiel sugere ir ao céu para pedir-lhes ajuda, mas Dean é contra essa ideia, considerando como os anjos se sentem em relação a Cass. No entanto, eles realmente não têm outras opções, então, com relutância, Dean diz a ele para ir em frente, "só não morra de novo" no processo. 

Castiel chega ao Céu para encontrá-lo basicamente abandonado até que ele entra na Sala do Trono do Paraíso, onde ele vê Dumah e dois outros anjos. Com as luzes piscando em torno dele, ele explica a situação de Gabriel, Lúcifer, Michael e Jack, pedindo-lhes ajuda. Dumah diz a ele que eles precisam conversar, e Castiel é forçado a esperar pelo que parece ser um longo tempo. Quando Dumah finalmente retorna para explicar, ela é interrompida por ninguém menos que Naomi, que diz a Castiel que não é que os anjos não querem ajudá-lo, é que eles não podem.


Todo esse encontro com Naomi é extremamente significativo, tanto para Castiel como um anjo quanto para a linha da história em geral. Antes que eles avancem em qualquer coisa, Naomi explica o fato de estar viva, lembrando Castiel que ser acertada por uma broca na cabeça por Metatron não é exatamente o suficiente para matar um anjo, e Castiel admite que ficou aliviado ao pensar que ela estava morta. Depois que ela diz quase petulantemente que eles nunca se deram bem, Castiel a interrompe, lembrando-a que ela roubou suas memórias, ameaçou destruí-lo, e fez com que ele repetisse o assassinato de Dean. Ela dá de ombros, dizendo que aqueles eram tempos mais simples, e se lança na razão pela qual ela foi mantida viva - porque ela tinha que ser.

Naomi explica que os números dos anjos têm diminuído por um tempo, e eles estão atualmente com cerca de uma dúzia de anjos, incluindo Castiel, e que todos eles são necessários para manter o Céu funcionando. Eles não podem poupar nenhum anjo para ajudar Castiel a procurar por Gabriel, mas ela sugere que se Castiel conseguir encontrar Gabriel, ele pode ter poder suficiente para ajudar a restaurar o Céu. Se ele não puder, há uma boa chance de que o poder dos anjos acabe, o Céu deixará de existir e milhares de almas voltarão para a Terra, causando um caos inacreditável. Claro, isso é um enorme peso nos ombros de Castiel, e agora, visto que ele tem que salvar Mary e Jack, rastrear Gabriel e derrotar ambos, Lúcifer e Miguel, Castiel está trancado do Paraíso enquanto Naomi fecha os portões atrás dele. 

Temporada 13, episódio 23 - “Que Venham os Bons Tempos”
Os finais da temporada são frequentemente muito intensos, mas este leva o bolo para um dos melhores em muitos anos. Em suma, todo mundo do Mundo do Apocalipse (exceto Gabriel) está de volta ao nosso mundo, e os dois mundos colidem quando Michael aparece dentro do bunker. Sam, Dean e Castiel tentam lutar contra ele, mas quando isso não vai bem, Sam reza para Jack, que foi embora com Lúcifer para tentar conhecer melhor seu pai. Enquanto Michael continua a estrangular Dean devagar, Jack aparece, forçando Michael a ficar longe de Dean usando seus poderes. Michael reclama com Lúcifer pois eles tinham um acordo, e Dean explica a um Jack confuso que Lúcifer fez um acordo com Michael para que Michael pudesse governar a Terra enquanto Lúcifer pudesse ter Jack.

Lúcifer nega as alegações, mas Jack usa seus poderes mais uma vez para forçá-lo a dizer a verdade, e como num estalo de dedos, o “ato de bom rapaz” de Lúcifer acabou. Em um ataque de raiva, ele corta a garganta de Jack, expondo sua graça e suga a maior parte dela. Sam se apressa para ajudar Jack, e depois de uma rajada de luz, Lúcifer, Sam e Jack desaparecem, deixando Dean e Castiel sozinhos com um Michael gravemente ferido. Castiel faz a primeira pergunta, que é o catalisador para tudo o que acontece a partir de agora: "Como podemos pará-lo?" 

Michael admite que não tem jeito. Os mocinhos perderam e o bandido ganhou. Dean insiste que Michael pode vencê-lo, que ele o viu fazer isso antes, mas Michael explica que isso não pode ser feito com sua casca nesta condição. É muito tarde. Dean não está prestes a tomar isso como uma resposta, e aproveitando o conhecimento que ele tem sobre seu próprio corpo e destino, ele se oferece como a casca perfeita de Michael se ele, por sua vez, prometer matar Lúcifer. Castiel é compreensivelmente contra isso, e pede a Dean várias vezes para não fazê-lo, mas Dean se recusa.


Apesar de não vermos exatamente o momento em que Dean diz sim a Michael, o público tem a chance de ver Dean e Michael trabalhando juntos com Sam e Jack para derrotar Lúcifer ... logo antes de Michael assumir a casca de Dean e voar para longe. Do ponto de vista de Castiel de volta ao bunker, por tudo que ele sabe, toda a sua família se foi e nunca mais voltará. Ele não tem idéia do que aconteceu com Sam ou Jack, e com Michael tendo residência na casca de Dean. Ele sabe que há poucas chances de Dean voltar. Toda a razão pela qual Castiel foi enviado para a Terra, em primeiro lugar, era para ser o guardião dos Winchesters, e agora, pelo pouco que ele sabe, pelo menos, ele é deixado em sua casa sem eles. Ele não podia fazer nada para proteger Jack de Lúcifer, ele não podia intervir a tempo de impedir Jack e Sam de desaparecerem, e embora ele tentasse, ele não poderia fazer Dean reconsiderar ser a casca de Michael.

Quando vemos Castiel em seguida, ele está sentado na escada do bunker, balançando a cabeça desanimadamente em uma resposta silenciosa para a pergunta não respondida de Mary e Bobby se algum deles sobreviveu à batalha com Michael. Sua angústia está escrita em todo o seu rosto em uma triste expressão de tristeza, e embora não seja um momento feliz, é sem dúvida uma conseqüência que Castiel vai lembrar nos próximos anos. Curiosamente, Castiel não fez nada errado nesta temporada. Ele não fez nenhuma escolha estúpida, ele não trabalhou pelas costas dos Winchesters para protegê-los, e ele não foi manipulado, mas no final da temporada, ele ainda sente como se tivesse perdido tudo. 

É um pouco triste terminar o artigo de recapitulação da última temporada dos maiores momentos de Castiel em uma nota tão baixa, mas talvez até mais triste seja o fato de ser apropriado considerar o momento de Castiel no programa até agora. Embora Castiel seja um personagem amado por muitos, ele não tem muitos momentos alegres para nos concentrarmos. A vida com os Winchesters raramente é algo tão simples quanto feliz, mas com base no que o próprio Castiel disse, é fato que os Winchesters têm sido a melhor parte de sua vida. E para alguém que já existe há tantos anos quanto o Castiel, essa não é uma pequena declaração a ser feita.

Enquanto é isso para nós olharmos em alguns dos maiores momentos de Castiel em Supernatural, este não é o fim da nossa série celebrando os dez anos do anjo. Estaremos de volta amanhã com um artigo final de alguns membros da nossa equipe explicando porque achamos que Castiel é tão importante para Sobrenatural, e em uma nota mais pessoal, porque ele é tão importante para nós como pessoas. Você não vai querer perder!

Tradução: Karoline Leandro para o site Supernatural Tentation.
Gostou? Então compartilhe:

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário

Postar um comentário

Design por: Jéssica Winchester | Ajudaram: